Faltam 2 semanas para fim do prazo de entrega de declaração do IR; tire dúvidas

Confira informações sobre o que deve ser apresentado à Receita Federal sobre rendimentos, bens e deduções

Faltam 2 semanas para fim do prazo de entrega de declaração do IR; tire dúvidas
A declaração poderá ser preenchida por meio do programa baixado no computador ou do aplicativo Meu Imposto de Renda para tablets e celulares — Foto: Marcello Casal Jr./Arquivo Agência Brasil

 

Por Cinthya OliveiraPublicado em 15 de maio de 2022 | 09h00 - Atualizado em 13 de maio de 2022 | 21h11

Quem ainda não entregou a declaração do  Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) tem apenas uma quinzena para cumprir a obrigação junto à Receita Federal. O prazo se encerra no dia 31 de maio. Até sexta-feira (13), apenas um terço das declarações aguardadas pelo órgão foram enviadas. 

É hora de ficar atento não somente à data, mas também aos dados que serão apresentados. Segundo o órgão, no ano passado, 869,3 mil contribuintes caíram na malha fina, sendo que os principais motivos foram a omissão de rendimentos e a falta de comprovação de dedução. 

Por isso, é importante juntar todos os documentos que comprovam rendimentos e gastos com educação, saúde e doações. Caso você não tenha levantado todos os comprovantes, a dica é entregar a declaração dentro do prazo e depois realizar a retificação. 

Quem precisa declarar?

Deve enviar a declaração quem recebeu rendimentos tributáveis acima do limite (R$ 28.559,70) ou recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima do limite (R$ 40 mil). Também é recomendado para quem realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas, segundo a Receita.

Cuidado com os rendimentos

Além de salário, é importante ficar atento a receitas de aluguéis e os ganhos de capital na venda de imóveis. Vale a pena verificar todos os dados junto à imobiliária contratada.

PUBLICIDADE

 

Também é importante identificar operações que não ocorrem com frequência, para evitar omissão de dados. Entre essas operações, estão compra e venda de bens acima de R$ 5 mil, que podem gerar ganhos de capital.

Fique atento aos dependentes

É importante incluir os dados de ganhos e gastos do cônjuge e dos dependentes. Podem ser considerados dependentes filhos, enteados, netos e irmãos de até 24 anos, se ainda estiver cursando ensino superior ou escola técnica de segundo grau. Também é válido para tutelados e curatelados. Pais e avós que estão na faixa de isenção também podem ser considerados dependentes, mas os valores devem ser informados. É fundamental incluir os rendimentos próprios dos dependentes, como filho que recebe pensão de ex-cônjuge. Importante: evite a inclusão de dependentes em duas declarações.

Quais atendimentos médicos posso declarar?

É possível incluir nas deduções as consultas médicas de qualquer especialidade;

exames laboratoriais e radiológicos; despesas hospitalares, incluindo internação em UTI; despesas com parto; cirurgias plásticas que foram realizadas com o objetivo de prevenir, manter ou recuperar a saúde física ou mental do paciente; e planos de seguro saúde, incluindo os planos com coparticipação do empregado. As despesas que foram reembolsadas pelo plano de saúde não são dedutíveis. Tudo deve ser comprovado por documentos que depois serão cruzados pela Receita Federal. 

Quais bens devem ser declarados?

Informe imóveis, móveis, dinheiro, títulos, ações, investimentos financeiros, participações societárias e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais existentes no país ou no exterior. É importante também informar quanto havia na conta bancária, se a diferença entre 1º de janeiro e 31 de dezembro for superior a R$ 140. Não se esqueça das aplicações financeiras. 

 

Retifique quando identificar um erro

Se você enviou sua declaração, mas percebeu algum erro, basta enviar outra declaração com as todas as informações corretas (declaração retificadora). Lembre-se de informar o número do recibo da declaração que será retificada. Essa informação é obrigatória em declarações retificadoras. E não se esqueça de usar o programa do mesmo ano que você quer retificar.