ALERTA: Empresários guanhanenses relatam recebimento de golpe telefônico com promessas de falsa publicidade

ALERTA: Empresários guanhanenses relatam recebimento de golpe telefônico com promessas de falsa publicidade
Imagem ilustrativa

Nos últimos dias alguns empresários guanhanenses relataram terem recebido um golpe que tem se tornado frequente, segundo um noticiário nacional, aplicado por supostas empresas de publicidade/marketing que ofertam publicidade das marcas e contatos empresariais em catálogos físicos e virtuais (sites).

O golpe tem o seguinte enredo: o funcionário da empresa, geralmente secretária, assistente administrativo ou vendedor, recebe um telefonema de uma interlocutora informando ser promotora de vendas da empresa de publicidade ofertando serviços de marketing em catálogos físicos e virtuais disponibilizados em todo o país, inicialmente de forma gratuita ou com opção do pagamento de mensalidades em valor irrisório durante determinado período.

Em seguida, a interlocutora informa que irá enviar uma proposta de contrato com os dados através de fax ou e-mail para que seja assinado e devolvido como confirmação do recebimento. Após a assinatura e envio de confirmação da proposta o golpe se materializa, porque na verdade não é uma proposta, mas um contrato de publicidade que contém cláusulas ilegíveis e leoninas e passa a valer para a golpista a partir daquele momento.

Importante destacar que os funcionários escolhidos para contato são referencialmente telefonistas, secretárias, vendedoras que são induzidos a crer que estão ajudando a empresa. Raramente o golpista solicita falar com os sócios ou gerentes.

Meses após o envio da falsa proposta a empresa golpista inicia as cobranças das parcelas em aberto que a empresa sequer sabia que devia. Com a justificativa de que os dados da empresa foram divulgados em um site sem qualquer relevância exigem o pagamento e ameaçam encaminhar o débito para protesto e para órgãos de proteção ao crédito.

Com receio de ter o crédito restringido, o empresário acaba aceitando um acordo mediante “desconto” oferecido pela golpista e com isto o golpe é concretizado.

Segundo advogados envolvidos na reportagem do site Jusbrasil, àqueles que caíram no golpe, a recomendação é proceder o registro de boletim de ocorrência, em seguida, entre em contato com a suposta empresa de publicidade por telefone, e-mail ou via postal exigindo o imediato distrato do contrato sem ônus.

É possível que o representante da empresa proponha algum acordo, geralmente em prejuízo da empresa contratante e sob ameaças de negativação junto ao SPC/SERASA ou até mesmo de protesto. Nesse caso, com o B. O. Em mãos contate um advogado imediatamente.

Segundo o funcionário de uma das empresas guanhaneses que receberam o telefonema, o esquema é extremamente bem feito e utiliza-se de pessoas que demonstram ser bem esclarecidas nas ligações e tem alto poder de persuasão. Ainda de acordo com ele, algumas empresas da cidade chegaram a pagar quantias à empresa fraudulenta.

Por JUS.BRASIL / Edições Folha