HOJE É SEXTA-FEIRA 13: Confira cinco superstições mais comuns na data considerada o

HOJE É SEXTA-FEIRA 13: Confira cinco superstições mais comuns na data considerada o

 

Como a sexta-feira 13 é conhecida como o “dia do azar”, de acordo com a cultura popular, algumas pessoas ficam receosas com o dia de amanhã. Com isso, a reportagem da Folha separou uma lista com cinco superstições com comportamentos que devem ser evitados na data. Confira:

1. Abrir guarda-chuva dentro de casa

Popular no Século XIX, os primeiros guarda-chuvas tinham mecanismos pontiagudos que poderiam causar ferimentos em alguém. Portanto, para evitar problemas, as pessoas começaram a falar que abrir objetos dentro de casa seria sinônimo de azar. A superstição dura até os tempos atuais.

2. Não passar por debaixo da escada

Se a escada estiver apoiada ou aberta, formando um triângulo, não se pode passar por baixo dela que o azar é certo. De acordo com populares, na Igreja Católica a forma geométrica representa a Santíssima Trindade, ou seja, o Pai, o Filo e o Espirito Santo. Passar por baixo do objeto, então, seria uma forma de quebrar o equilíbrio entre eles.

3. Quebrar o espelho

Entre as mais tradicionais crenças de sinônimo de azar é quebrar um espelho. Segundo populares, caso isso ocorra, a pessoa é amaldiçoada com sete anos de azar. A superstição começou a ser levada em conta quando, na antiguidade, os “adivinhos” enchiam um recipiente com água para prever o futuro das pessoas. O indivíduo olhava para o seu reflexo e se o copo quebrasse era sinal de um presságio ruim.

4. Dizer “tchau” em cima de uma ponte

Vai passar por cima de uma ponte? Garanta que não vá dar “tchau” a ninguém quando estiver em cima dela. Isso porque, por ser uma estrutura que liga duas partes idênticas, o fato de se despedir de alguém, sobre ela estaria ligado ao sentido de quebra-la, após o ato a ligação seria quebrada e você nunca mais iria ver a pessoa.

5. Na dúvida, bata três vezes na madeira

Não se sabe a origem deste gesto, mas algumas pessoas têm o costume de bater na madeira três vezes para espantar o azar. Uma das teorias remetem a madeira ao material com o qual foi feita a cruz em que Jesus foi crucificado, assim tocar na madeira é um meio de invocar a proteção de Deus.

Por Folha com Portais de Notícias