Queimadas atingiram quase 20% do território brasileiro nos últimos 36 anos

Queimadas atingiram quase 20% do território brasileiro nos últimos 36 anos
Foto: Bruno Kelly/Amazônia Real

 

Por FOLHAPRESS

 

Nos últimos 36 anos, Amazônia e cerrado foram os biomas que mais queimaram no Brasil. Considerando dados de todo o país, quase 20� nação queimou de 1985 até 2020 e, todo ano, uma área do tamanho da Inglaterra, aproximadamente, é alvo de incêndios, o que significa 1,8% do território nacional.

Segundo dados do MapBiomas Fogo, ferramenta lançada nesta segunda-feira (16) que aponta o histórico das chamas no Brasil, Amazônia e cerrado respondem, juntos, por cerca de 85% do que foi queimado no Brasil de 1985 até 2020.

Apesar da liderança em números absolutos, percentualmente foi o Pantanal o bioma que mais sofreu com o fogo: 57� sua área queimada no período. No ano passado, com uma seca prolongada, o Pantanal teve mais de 20% do território queimado.

O mapeamento do MapBiomas também aponta que cerca de 65� área queimada em todo o período em questão era de vegetação nativa.

Durante a apresentação do relatório, nesta segunda, Ane Alencar, coordenadora do MapBiomas Fogo, afirmou ter ficado surpresa com a frequência de fogo (outro parâmetro passível de ser analisado na ferramenta) na Amazônia.

Segundo a pesquisadora, a frequência das chamas -ou seja, a ocorrência de uma queimada em um mesmo local mais de uma vez- na região amazônica se assemelha a do cerrado e do Pantanal. “Eu esperaria ter uma frequência de fogo parecida com a da mata atlântica, em que temos grande parte da área queimada queimando só uma vez”, disse a pesquisadora.

O levantamento aponta ainda que aproximadamente 61� áreas com ocorrência de fogo no país queimaram duas vezes ou mais no período.

O fogo não faz parte do ciclo natural da úmida floresta amazônica, ou seja, não são esperados incêndios naturais no bioma. Os focos de fogo encontrados na região são de origem humana e, usualmente, estão ligados ao processo de desmatamento. Após a derrubada da mata, é utilizado o fogo para limpeza do local.

O desmatamento, crescente nos últimos anos, é o principal vetor de emissões de gases-estufa do Brasil. Na última semana, o relatório mais recente do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudança do Clima) alertou para a grave situação de crise do clima na Terra, com mudanças irreversíveis no horizonte próximo da humanidade.

Olhando para o Brasil, como um todo, nos últimos 36 anos foram queimados 1.672.142 km⊃2;, cerca de 19,6% do território nacional.

O Mato Grosso -que tem em seu interior Amazônia, cerrado e Pantanal- é o estado com a maior área afetada pelo fogo. Desde 1985, foram mais de 389 mil km⊃2;. Em seguida, aparecem o estado amazônico do Pará e o Tocantins, composto majoritariamente por cerrado.

O MapBiomas Fogo compreende dados capturados pelos satélites Landsat, em forma de 150 mil imagens. Com a ferramenta do MapBiomas é possível observar, em todo o Brasil, pixels de 30 m por 30 m.

Alencar aponta que os rastros de fogo são mais difíceis de identificar do que cicatrizes de desmatamento, por exemplo.

Com as imagens em mãos, os pesquisadores usaram inteligência artificial para identificar as áreas queimadas. Depois disso, houve ainda uma etapa de pós-processamento das imagens, para evitar identificações falsas. Nesse momento, foram retiradas detecções de formações rochosas, áreas urbanas e de água, que algumas vezes eram tidas como áreas de fogo.